mote para dezembro, 1

18 dezembro, 2011 at 6:14 am 1 comentário

eu deixo a casa vazia
meus cavalos d’além mar
um caravaggio nos ossos
um maradona no olhar
um goya feito do avesso
meu corpo sem endereço

se dezembro me matar.

romério rômulo

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

não consigo me livrar desse poema lampião e maradona, fragmento

1 Comentário Add your own

  • 1. mirze  |  18 dezembro, 2011 às 6:20 am

    Romério!

    Na companjia de Goya, Caravaggio e com o olhar de Maradona, Não haverá dezembro que o mate!

    Belo poema!

    Beijos

    Mirze

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

dezembro 2011
S T Q Q S S D
« nov   jan »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Top Posts

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: