Archive for dezembro, 2012

sobre dezembros vamos dizer amanhã

abri minhas pastas e livros
e só encontrei dezembros.
sempre o final dos tempos
que me persegue e me atrai.
vi as noites, os taludes, os cachorros e seus antros
todos a lamberem dezembros.
meu olho indevido e a minha carne suja
pisaram os dezembros do corpo.
somos o implícito do tempo, a pele seca das garças
o antemão de tudo.
vestido em viagem
pus meu olho a serviço das pragas
revelei todas as tentações
e despejei meus desejos sobre o amiúde da vida.

o sopro do meu lábio e o vale do meu dente
só mostraram o tempo lavado.

sobre dezembros
vamos dizer amanhã.

romério rômulo

Anúncios

29 dezembro, 2012 at 4:13 am 1 comentário

nau francesa, 1

seu rosto de framboesa
sua carne de marfim
uma carne eterna acesa
do lábio por onde eu vim
seu gesto de nau francesa
tudo princípio do fim

quero saber da torpeza
que bate dentro de mim.

romério rômulo

23 dezembro, 2012 at 6:09 am Deixe um comentário


Feeds

dezembro 2012
S T Q Q S S D
« nov   jan »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.