a musa te arquiva entre os devassos

12 janeiro, 2013 at 3:37 am 1 comentário

(remontar a musa, 1)

remonto a musa pelo seu joelho
junto bedéis, verrumas, um artelho
um gato vil, cruel como abril
feitiço nu bordado no espelho

nonada. a musa é a dura madrugada
que te consome a carne numa espada
que te corrompe o corpo feito nada
que te arranca o olho na mirada

comidas as missões, puros espaços
montadas solidões dos meus abraços
rimadas as monções e os seus traços
soçobram os navios nos bagaços

somados os pedaços, todos lassos
a musa te arquiva entre os devassos.

romério rômulo

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

sobre dezembros vamos dizer amanhã vou me casar com clarice

1 Comentário Add your own

  • 1. Maria da Graça de Souza Feijo  |  12 janeiro, 2013 às 11:48 am

    te sinto intenso,teso pela vida e cúmplice mas critico das diferenças e dos mais intimos sentires da alma !
    Graça!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

janeiro 2013
S T Q Q S S D
« dez   fev »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: