dig it, Seamus Heaney!

21 junho, 2012 at 1:42 pm 2 comentários

dig it, Seamus Heaney!

na poesia
debruçar sobre as vogais
os cerrados
e revolver as mulas da infância

quanto tempo gastei meu corpo bêbado
sobre os montes de terra
com as ferragens cozidas
pelos modos das gentes do meu povo

quantas guerras fiz
no meu braço de arame
que comia hóstias, corpos de santos
e moças fora do tempo

quantas sílabas contive nos dentes
com todos a me cobrar
a dívida da história.

são outros os perdões que eu mesmo peço.

romério rômulo

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

a orelha dura de van gogh quando todos partirem

2 Comentários Add your own

  • 1. Ana Ribeiro  |  30 junho, 2012 às 11:10 am

    Fico sempre boquiaberta quando leio seus textos. São de uma grandeza que fico envergonhada de comentar, pois qualquer coisa que disser, certamente não alcançará o sentimento que gostaria de descrever. Gosto muito de visitar Minas pelos seus versos. É uma paisagem tão familiar e, ao mesmo tempo, surpreendentemente revelada.

    Responder
  • 2. CiberBosqueina Gulla  |  28 outubro, 2012 às 10:51 pm

    Romério, tenho lido seus escritos. Gosto muito. Beijo da Regina Gulla.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

junho 2012
S T Q Q S S D
« maio   jul »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: