Archive for 6 junho, 2012

quando um bordel me ocupa

minha casa é um agasalho
ocupado por scliar
onde afro-sambas e baden
vinicius, guignard, clarice
caminhavam seus direitos.

nos seus domínios inteiros
um minotauro vigia
as portas inanimadas
onde tantos que passaram
não passam mais por inteiro.

fugiram pelas paredes
levaram os seus cordéis
suas artes, suas frestas
seus corpos de pura sede.

umas terras me contornam
uns gados me alumiam.
alices, joaquinas, vós
celinas, mães ressecadas
me alegram a paciência
de lembrá-las por meu corpo.

quanto de mim vale um anjo
quando um bordel me ocupa
se os atos dos cilícios
não me contêm os pecados?

romério rômulo

6 junho, 2012 at 11:26 am 1 comentário


Feeds

junho 2012
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.