musa e vestal, 1

26 agosto, 2011 at 3:54 pm 3 comentários

1.
a musa e a vestal são meus abismos.
se abro uma, contém mirabolâncias
se abro outra, descubro silogismos.

vou revelá-las em todas as instâncias
cobertas de razão, mas sem juízo.

2.
a musa e a vestal são as amantes
do meu corpo imperfeito de narciso
e cegamente refletem meus juízos
num estado de ferro e de diamante.

vou amansar uns ópios indecisos.

romério rômulo

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

desmontar a musa, 1 poesia, 5

3 Comentários Add your own

  • 1. mirze  |  26 agosto, 2011 às 4:24 pm

    MARAVILHA, Romério!

    Belíssimo MESMO!

    Bravo poeta!

    Beijos

    Mirze

    Responder
  • 2. Anamélia Fernandes Gonçalves  |  26 agosto, 2011 às 10:56 pm

    Não sei rimar como você… Invejinha…

    Responder
  • 3. Hosamis  |  27 agosto, 2011 às 11:58 pm

    Olá poeta! Vim aqui conhecer o seu espaço poético… e já sei que vou ficar.

    Beijos,

    Hosamis (do projeto PontuAção: Poesia em Quadrinhos na Escola)

    Obrigada por ter nos visitado.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

agosto 2011
S T Q Q S S D
« jul   set »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: