Archive for 27 fevereiro, 2011

a fala do Freud

eu namoro uma donzela
que só me fala do Freud
pra chegar mais perto dela
eu tomo muito alcalóide

digo que sou poesia
camarada do Adelzon
e um certo Carlos Scliar
fez meu retrato em crepom

meu parceiro Rufo Herrera
o pai do bandoneon
tocou tango em frigideira
só pra provar que eu sou bom

se alguém me dá um fora
e eu fico fora de mim
o Nassif vem na hora
armado com o bandolim

se a vida me descamba
e o meu corpo se enrola
Caçula me toca um samba
pelas regras do Cartola

o poeta Tião Nunes
um homem que é só amor
beija os meus versos impunes
como se beija uma flor

na fala do Manuelzão
meu companheiro de prosa
eu descrevi o sertão
muito melhor do que o Rosa

Hélio Delmiro vai fundo
só por ser um meu amigo
e Deus quando vem ao mundo
só vem pra falar comigo

se a moça não me concede
e eu tenho de saber Freud
ela manda, não me pede
mas vou tomar alcalóide.

romério rômulo

27 fevereiro, 2011 at 4:22 pm 5 comentários


Feeds

fevereiro 2011
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.