o mais armado, fragmento

23 janeiro, 2011 at 5:56 am 4 comentários

sou o mais armado dos homens!
meus obuses, estanhos, tantas luzes
arrefecem a raiva dos canhões
na goela dos canhões a pólvora seca
arremata o mundo em contrições
os pecados do corpo se revelam
como fossem guerreiros em pulsões
nas pulsões algum gesto se mortalha
na pantera do corte dos facões.

romério rômulo

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

fragmentos de poema se eu fosse maradona, 11

4 Comentários Add your own

  • 1. Maria  |  23 janeiro, 2011 às 8:00 am

    … num ousado atrevimento que, eu sei, vais perdoar, e já que sempre entro muda e saio calada, porque nem sempre a ousadia é permissível, eu hoje atrevo-me:
    Rômulo, as palavras para ti estão aqui, no coração, tens que vir buscá-las porque não sei traduzi-las.
    és perfeito em qualquer recorte da tua poesia.
    beijos.

    Responder
  • 2. Mirze Souza  |  23 janeiro, 2011 às 11:14 am

    Romério!

    Um verdadeiro guerreiro, que com obuses e estanhos, e luzes ( que podem ser raios laser), fazem calar os canhões.

    Sou contra armas de fogo, prefiro os facões, pelo menos dá tempo de um correr e se defender, o outro pensar e não esfaquear.

    Um poema de MESTRE!

    Beijos, poeta!

    Mirze

    Responder
  • 3. Graça Pires  |  26 janeiro, 2011 às 9:04 am

    Um guerreiro com um nome de combate para dizer paz…
    Um abraço.

    Responder
  • 4. Natália Nunes  |  2 fevereiro, 2011 às 12:22 pm

    bonito, romério.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

janeiro 2011
S T Q Q S S D
« dez   fev »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: