quero dizer que manuelzão foi boi – III

8 maio, 2010 at 8:15 pm 3 comentários

ser boi, cone e pedal, pode ser grave
se em manuel remete antecedências.
o espaço que revelo é pura noite
de solidão, cerrado e eloqüência.

o árido instante, extrato e muro,
requer o olho atiçado: ventre
do galho traz mais decisões.
se o espaço brumoso de manuel

requer seja o cavalo puro intento
de reaver o tanto já perdido.

toda querela não cabe imensidão.

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

quero dizer que manuelzão foi boi – II quero dizer que manuelzão foi boi – IV

3 Comentários Add your own

  • 1. Mirse Maria  |  9 maio, 2010 às 2:47 pm

    “pura noite
    de solidão, cerrado e eloqüência.”

    Não cabe imensidão….toda querela!

    Agora que sei que Manelzão é boi, mais admiro sua poética!

    Abração,. Romério!

    Mirze

    Responder
  • 2. Roberta  |  10 maio, 2010 às 5:45 pm

    Romério: inspiradíssimo. Pura noite. Puro intento. Imensidão.

    Responder
  • 3. Ana  |  14 maio, 2010 às 5:51 pm

    Ritmo extraordinário!
    bj

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

maio 2010
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: