merda no teu pelo

7 fevereiro, 2010 at 9:56 am 4 comentários

1.

a merda que sucumbe no teu pelo
ensimesmado
pode ser relatada.

2.

quando os cabedais que te revelam
somem na noite
cabe decifrar tua existência.

3.
 
dizer que as quimeras de tua carne
pouco valem?
espero que tua voz e carne calem!

( merda no teu pelo )

[Per Augusto & Machina]

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

lamber-de noite e ruptura

4 Comentários Add your own

  • 1. Adriana Godoy  |  8 fevereiro, 2010 às 3:22 pm

    merda no teu pelo mui interessante.vc instiga e intriga. beijo.

    Responder
  • 2. roberto lima  |  8 fevereiro, 2010 às 5:05 pm

    ou,
    da arte de morder e nâo assoprar.
    mais um punhado de sal da bicheira a céu aberto.
    receba meu abraço, poeta.
    admiração do
    roberto.

    Responder
  • 3. nina rizzi  |  9 fevereiro, 2010 às 6:15 pm

    eu gosto da tua merda, poeta.
    beijo.

    Responder
  • 4. Adélia Carvalho  |  15 fevereiro, 2010 às 12:07 pm

    E olha só: até a ‘merda’ cheira bem, depois de passar pelas suas palavras. Abraços.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

fevereiro 2010
S T Q Q S S D
« jan   mar »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: