onde o homem amanhece

22 outubro, 2009 at 8:55 am 21 comentários

o torto da manhã carrega um osso
que é esqueleto do dia de amanhã.
seu prazo é inerte: ronda um sol
por eixo da terra que nem sabe.

cada homem delega-se instrumento
de tudo isto em seu relógio louco
que mostra a manhã arrependida
de ser a outra depois, e mais, depois.

cada fala se sabe compreendida
no tempo desta luz e desta treva.
e o caminhar de escuros entre claros
define a substância dos caminhos.

estes caminhos são por demais ossos
de esqueletos, múltiplos, corpóreos,
estantes desta flor chamada gente,
martelo deste prego que arremata.

por seu intento e sabe-se o quê
os pisos rasos, fundos, ancestrais,
onde o homem amanhece noite
e sua claridade vai traduzir morte.

fosse eu o deus das madrugadas!

Anúncios

Entry filed under: Per Augusto & Machina.

no cosmopolitismo das moneras puro antro

21 Comentários Add your own

  • 1. Adriana Godoy  |  22 outubro, 2009 às 11:55 am

    “onde o homem amanhece noite
    e sua claridade vai traduzir morte.”

    Um poema como esse mexe fundo, fosse você o deus das madrugadas, certamente o homem seria melhor..

    Intensamente bom. Bj

    Responder
    • 2. Romério Rômulo  |  25 outubro, 2009 às 5:11 pm

      adriana:
      melhor o homem ? não sei.
      um beijo.
      romério

  • 3. rogerio  |  22 outubro, 2009 às 2:43 pm

    lindo poema suave muito bom . bom restinho de semana

    Responder
    • 4. Romério Rômulo  |  25 outubro, 2009 às 5:14 pm

      rogério:
      como estou atrasado na resposta (me desculpe), já temos um
      domingo. meu abraço.
      romério

  • 5. f@  |  22 outubro, 2009 às 6:35 pm

    Romério,

    custa tanto a m a nhecer… até o sonho a © o r d a r…
    mas quando ab ® i m o s os olhos e o SOL b ® i l h a …
    enlouquecem os relógios de p u l s o…
    DIA E NOITE O TIC TAC T E A R…

    Belo o teu poema como sempre
    beijinhos

    Responder
    • 6. Romério Rômulo  |  25 outubro, 2009 às 5:15 pm

      fá:
      estaremos em contato.
      um beijo.
      romério

  • 7.  |  22 outubro, 2009 às 6:57 pm

    O pássaro canta a aurora para o brilho do dia esquecer o a c o r dar do Homem…
    O Voo e o canto anestesiam o s o l…

    beijinhos

    Responder
    • 8. Romério Rômulo  |  25 outubro, 2009 às 5:16 pm

      rã:
      acordar o Homem é essencial.
      um beijo.
      romério

  • 9. ana  |  22 outubro, 2009 às 7:06 pm

    O poema é forte. Excelente.
    bj

    Responder
    • 10. Romério Rômulo  |  25 outubro, 2009 às 5:17 pm

      ana:
      sua palavra é sólida. obrigado.
      um beijo.
      romério

  • 11. Beta  |  23 outubro, 2009 às 9:51 am

    Todos os matizes: poentes e nasceres. Um sol de gente flor se abrindo aos versos do poeta. Muito bonito!

    Responder
    • 12. Romério Rômulo  |  25 outubro, 2009 às 5:18 pm

      roberta:
      caminho para os seus mares. de frente.
      romério

  • 13. Graça Pires  |  24 outubro, 2009 às 1:22 pm

    o deus das madrugadas. o deus de todas as coisas, de todos os afectos.
    Gostei do poema.
    Beijos.

    Responder
    • 14. Romério Rômulo  |  25 outubro, 2009 às 5:19 pm

      graça pires:
      o deus dos afetos, isto.
      um beijo.
      romério

  • 15. Meg  |  24 outubro, 2009 às 3:32 pm

    Romério,

    Mas se tu és de há muito o deus das manhãs e das madrugadas!
    E também das trevas…
    onde o homem amanhece noite
    e sua claridade vai traduzir morte

    Um beijo
    meg

    Responder
    • 16. Romério Rômulo  |  25 outubro, 2009 às 5:21 pm

      meg:
      você cresceu tanto a dose que eu não sei responder.
      um beijo.
      romério

  • 17. xico santos  |  25 outubro, 2009 às 6:40 am

    Poeta,

    Porisso gosto tanto de paralelepípedos!

    Responder
    • 18. Romério Rômulo  |  25 outubro, 2009 às 5:22 pm

      paralelepípedos, xico santos?
      para quebrar a cabeça de poetas confusos?
      romério

  • 19. gisela Rosa  |  25 outubro, 2009 às 1:50 pm

    passei por aqui Romério, e gostei muito! Grande abraço

    Responder
    • 20. Romério Rômulo  |  25 outubro, 2009 às 5:24 pm

      gisela Rosa:
      obrigado. retorne, por favor.
      um abraço.
      romério

  • 21. Madalena  |  1 novembro, 2009 às 2:52 pm

    Gostei muito do seu espaço, Romério, e agradeço a visita que me fez, via Namibiano.
    As redes sociais são assim: vamos ligando-nos uns aos outros e enriquecendo-nos com os conteúdos e experiências que seleccionamos consoante os pontos de vista das nossas vivências e sonhos.
    Obrigada.
    Um abraço da
    Madalena

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

outubro 2009
S T Q Q S S D
« set   nov »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: