gesto metálico, noite

7 fevereiro, 2009 at 11:56 am 47 comentários

desmontar o verbo infiel,
caridade maldita, praga estupefata.
o gesto de palavra pode ser
algo inserido entre tumulto e mão.

quando dizer recai, estremecido,
no alvo, a noite se caminha poldra.

Anúncios

Entry filed under: Matéria Bruta. Tags: , .

alice, avó por joão cabral

47 Comentários Add your own

  • 1. Gisela  |  7 fevereiro, 2009 às 1:14 pm

    …algo inserido entre o tumulto e a mão.

    Gostei muito!

    Resposta
  • 2. rose m prado  |  7 fevereiro, 2009 às 2:36 pm

    E os cavalheiros olhos passam , pensam e…reparam a harmonia do céu do texto.

    Resposta
  • 3. Romério Rômulo  |  7 fevereiro, 2009 às 3:17 pm

    gisela:
    tumulto e mão se compõem.
    romério

    Resposta
  • 4. Romério Rômulo  |  7 fevereiro, 2009 às 3:19 pm

    rose:quem são os cavalheiros olhos?
    romério

    Resposta
  • 5. nina rizzi  |  7 fevereiro, 2009 às 4:31 pm

    rasgo o verbo
    e o pretérito continua
    im-perfeito

    Resposta
  • 6. Romério Rômulo  |  7 fevereiro, 2009 às 4:43 pm

    nina:
    rasgue o verbo.pretérito é isso mesmo:imperfeito.
    romério

    Resposta
  • 7. CRIS LIMA  |  7 fevereiro, 2009 às 7:09 pm

    COMO LER E NÃO ADMIRÁ-LO?

    Resposta
  • 8. Romério Rômulo  |  7 fevereiro, 2009 às 9:05 pm

    cris lima:
    vou ao trabalho.meu carinho pra você.
    romério

    Resposta
  • 9. rose m prado  |  8 fevereiro, 2009 às 12:17 am

    Os olhos de quem construiu a trama, seja escritor ou leitor.

    Resposta
  • 10. Romério Rômulo  |  8 fevereiro, 2009 às 8:11 am

    rose:
    explicado e muito bem explicado.
    romério

    Resposta
  • 11. Analuz  |  8 fevereiro, 2009 às 1:02 pm

    Oi! Obrigada pela visita! Gostei daqui 🙂

    Abs.

    Resposta
  • 12. Romério Rômulo  |  8 fevereiro, 2009 às 3:34 pm

    analuz:
    apareça mais.
    um abraço.
    romério

    Resposta
  • 13. adelaide  |  8 fevereiro, 2009 às 6:15 pm

    O poema soa metálico como o gesto. Muito interessante a composição, Romério.
    O anjo tipo B é a outra face da educação esmerada que se recebe em casa e no colégio de freiras : )
    Um beijo.

    Resposta
  • 14. Romério Rômulo  |  8 fevereiro, 2009 às 10:36 pm

    adelaide:
    gostei desse anjo tipo b.obrigado pelo comentário.
    um beijo.
    romério

    Resposta
  • 15. kimdamagna  |  9 fevereiro, 2009 às 11:57 am

    ” a infedilidade verbal,
    palavra praga politeísta
    quando o estremecido conceito, recai.”

    obrigado então a Janaina por nos conhecer….
    no bisbilhotar dos seus textos,
    gostei

    -senti-ME como em própria casa-

    xaxuaxo

    Resposta
  • 16. kinaxixi  |  9 fevereiro, 2009 às 3:25 pm

    Romério
    Só pra deixar um abraço. Sou o alex campos do “Cheira-me a Revolução!”

    Resposta
  • 17. Bipede-Implume  |  9 fevereiro, 2009 às 9:57 pm

    Algo entre o gesto de palavra e o dizer se transforma em poesia, mesmo que metálico.
    Grande abraço.
    Isabel

    Resposta
  • 18. bonomiliano  |  10 fevereiro, 2009 às 5:56 pm

    Ah… As noites, os silêncios, as palavras…
    Pode-se ouvir o som metálico.
    bjo.
    Nydia

    Resposta
  • 19. Nydia Bonetti  |  10 fevereiro, 2009 às 5:58 pm

    Pode-se ouvir o som metálico soando pura poesia.
    Beleza RR.
    bjo.

    Resposta
  • 20. Romério Rômulo  |  10 fevereiro, 2009 às 6:14 pm

    kimdamagna:
    se você se sentiu como em sua casa,ótimo.
    um grande abraço.
    romério

    Resposta
  • 21. Romério Rômulo  |  10 fevereiro, 2009 às 6:16 pm

    kinaxixi,alex campos:
    bom que você tenha aparecido.
    um grande abraço.
    romério

    Resposta
  • 22. Romério Rômulo  |  10 fevereiro, 2009 às 6:17 pm

    isabel:
    obrigado,sempre.
    um abraço.
    romério

    Resposta
  • 23. Romério Rômulo  |  10 fevereiro, 2009 às 6:35 pm

    nydia:
    a poesia,por vezes,tem algo de metálica.
    romério

    Resposta
  • 24. Betty  |  11 fevereiro, 2009 às 6:36 pm

    ._______querido Romério

    .o

    acto

    ______exertado na palavra

    cravando a estaca

    .na

    circunferência do______”verbo”

    ___________///

    amei este poema___…

    beijO_______ternO

    Resposta
  • 25. martha  |  11 fevereiro, 2009 às 7:06 pm

    Romério, volte sempre ao Muadiê, adorei sua vida.
    Quando dizer acerta o alvo, estremecemos.
    abraço,
    Martha

    Resposta
  • 26. Ana  |  11 fevereiro, 2009 às 7:35 pm

    Intenso!
    (vou ligar o seu blogue o meu, espero que não se importe. ..)
    Abraço

    Resposta
  • 27. Romério Rômulo  |  11 fevereiro, 2009 às 11:11 pm

    betty:
    é sempre bom tê-la aqui.um beijo.
    romério

    Resposta
  • 28. Romério Rômulo  |  11 fevereiro, 2009 às 11:13 pm

    martha:
    volto,fique certa.
    obrigado.
    um abraço.
    romério

    Resposta
  • 29. Romério Rômulo  |  11 fevereiro, 2009 às 11:16 pm

    ana:
    gostei do link.muito obrigado.
    romério

    Resposta
  • 30. Luciane Fiuza  |  12 fevereiro, 2009 às 3:21 am

    Olá, Rômulo; passando para avisar que estou de volta, depois de longo recesso da blogosfera… srsrsr E também para parabenizá-lo pelas lindas e inspiradas palavras que tenho lido por aqui. E muitos compartilham da minha opinião.
    Abs! Lu.

    Resposta
  • 31. Romério Rômulo  |  12 fevereiro, 2009 às 9:56 am

    lu:
    o seu recesso foi longo.boa volta.
    um abraço.
    romério

    Resposta
  • 32. Janaina Amado  |  12 fevereiro, 2009 às 10:21 pm

    Romério, emergindo das águas (glub glub) passei aqui para lê-lo. Estranho, excelente este poema! Abração.

    Resposta
  • 33. Jurandir Paulo  |  12 fevereiro, 2009 às 11:12 pm

    Muito bom aqui estar e ter a compmhia de tão precisas palavras. Um forte abraço.

    Resposta
  • 34. naela  |  13 fevereiro, 2009 às 1:06 pm

    Rasgar o verbo, sinto os sentimentos desmancharem na entrega total de emocoes infieis!
    Beijo doce

    Resposta
  • 35. Romério Rômulo  |  13 fevereiro, 2009 às 5:06 pm

    janaína:
    esses poemas me estranham.
    um abraço.
    romério

    Resposta
  • 36. Romério Rômulo  |  13 fevereiro, 2009 às 5:08 pm

    naela:
    verbos rasgados e emoções infiéis.é isso.
    um beijo.
    romério

    Resposta
  • 37. Romério Rômulo  |  13 fevereiro, 2009 às 5:09 pm

    jurandir:
    obrigado pela presença.
    um abraço.
    romério

    Resposta
  • 38. martha  |  13 fevereiro, 2009 às 8:44 pm

    Romério, não sei se estou meio lenta…mas não entendi o recado que você deixou pra mim sobre o “senhor” Moacy.
    Um abraço
    Martha

    Resposta
  • 39. Romério Rômulo  |  13 fevereiro, 2009 às 9:06 pm

    martha:
    te encontrei no blog do moacy cirne e,como ele está
    reescrevendo a bíblia,brincou comigo.falou do meu
    relacionamento com o “senhor das alturas”.foi isso.
    um abraço.
    romério

    Resposta
  • 40. Bipede-Implume  |  13 fevereiro, 2009 às 11:02 pm

    Passo para lhe deixar um abraço, para o fim de semana.
    Isabel

    Resposta
  • 41. Romério Rômulo  |  14 fevereiro, 2009 às 9:48 am

    isabel:
    muito obrigado.
    romério

    Resposta
  • 42. Taninha  |  14 fevereiro, 2009 às 9:10 pm

    Retribuindo a visita.

    A desconstrução da ação da infidelidade pode até partir para a ação física mesmo; num grande tumulto de mãos; posto que “amar” infielmente [se possível fosse] é a pior das “caridades “. É uma praga!!

    E, se a palavra é mesmo esta… A noite tem o vigor das éguas novas…

    Haja insônia… rsss

    Gostei do simbolismos dos versos, pois nos fazem devagar em subjetividades das mais absurdas.

    Belo poema.

    Taninha

    Resposta
  • 43. Romério Rômulo  |  14 fevereiro, 2009 às 9:49 pm

    taninha:
    gostei das suas palavras. obrigado.
    romério

    Resposta
  • 44. meg  |  15 fevereiro, 2009 às 4:42 pm

    Romério,
    Na semana passada não viste o meu comentário, mas eu passeio, mesmo ausente, por TODOS os teus poemas.
    E me deslumbro com as tuas palavras, como sempre, mesmo as de grande inquietação.
    Espero estar de volta dentro de 10 dias… coisa difícil esta, meu caro!
    Muitas saudades

    Um beijo
    Meg

    Resposta
  • 45. Adriana  |  15 fevereiro, 2009 às 5:56 pm

    quando dizer recai, a palavra voa…quebeleza de pensamento

    Resposta
  • 46. Romério Rômulo  |  15 fevereiro, 2009 às 10:54 pm

    meg:
    onde ele está?que volta demorada.
    um beijo.
    romério

    Resposta
  • 47. Romério Rômulo  |  15 fevereiro, 2009 às 10:55 pm

    adriana:
    apareça mais.
    obrigado.
    romério

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

fevereiro 2009
S T Q Q S S D
« jan   mar »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
232425262728  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: