(raso de delírio: o meu cão morto)

23 dezembro, 2008 at 7:51 am 10 comentários

rio acima duas canções se fazem.
alargado meu peito desfalece.
que arcos hão de vir, sombriamente,
falar, cerrado puro, do meu lastro?

e se os risonhos da manhã me deceparem?
acaso sou poesia ou sou manhã?
acaso uma nascente é tão nascente
que só se faça romper pela clausura?

vou de saberes, que saberes estes
são uivos que caminho pelas águas
e águas são de um sólido mais brusco
que desfalecem os ranços já chegados.
cauda selvagem, se me sobra toda
a vida por parir mais que selvagem.

 
(raso de delírio: o meu cão morto)

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

ouro preto, minha matéria bruta

10 Comentários Add your own

  • 1. Moacy Cirne  |  23 dezembro, 2008 às 12:19 pm

    Mais um poema que já nasce forte, quase selvagem. Aproveitando a deixa: um GRANDE E MARAVILHOSO NATAL pra você e sua família. Abraços.

    Responder
  • 2. miguel barroso  |  23 dezembro, 2008 às 12:50 pm

    Pungente. Gostei.

    Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

    Responder
  • 3. Fred Matos  |  23 dezembro, 2008 às 4:58 pm

    Ótimo.
    Feliz Natal
    Abraços

    Responder
  • 4. janaina amado  |  23 dezembro, 2008 às 7:08 pm

    Felizardo Romério sorteado, achei este poema lindíssimo.
    E pus o gato gargalhando pra você aqui também!
    Abração, Feliz Natal.

    Responder
  • 5. CRIS MORENO  |  24 dezembro, 2008 às 9:29 am

    Feliz Natal, RR e família.

    Beijinhos.

    Responder
  • 6. CRIS LIMA  |  24 dezembro, 2008 às 8:22 pm

    nada comento…apenas sinto…
    cris lima

    Responder
  • 7. Mariana  |  25 dezembro, 2008 às 12:00 am

    fortíssimo. de um jeito belo disseste com densidade.

    Responder
  • 8. Cheira-me a Revolução!  |  27 dezembro, 2008 às 8:14 pm

    Romério Rómulo

    Obrigado pela visita

    Boas Festas e, que o pior de 2009, seja o que de melhor aconteceu em 2008, para si e para todos os que mais ama.

    Ouss

    #Sensei

    Responder
  • 9. xico santos  |  28 dezembro, 2008 às 7:01 am

    Caramba! Vc foi uma companhia e tanto nesses dias todos de 2008.

    Paz, poeta!

    xico santos

    Responder
  • 10. Mário Mendonça  |  28 dezembro, 2008 às 5:37 pm

    Grande Guerreiro das Palavras

    Raso profundo,
    de alma ardente,
    busca perdida,
    de coração valente,
    negativo, positivo…..

    Abraços

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

dezembro 2008
S T Q Q S S D
« nov   jan »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: