vôo alavancado

6 agosto, 2008 at 12:05 am 2 comentários

meu simulacro do instante é pomba bêbada
que atravessa terras.
bico de guerra, corpo ferido
de agulhas entornadas,
rói estrada como entulho.

vôo ávido de esferas,
seus movimentos estão ternos de noite.
cada passo, caldos. vidas
solam seu diamante de ar.

bêbada a pomba volta à terra.
ensimesmadas, terra, estrada e pomba
se desnutrem amantes.

(cão por alavanca)

Anúncios

Entry filed under: Matéria Bruta. Tags: , .

uma poesia carrega sempre outra desastre no olho

2 Comentários Add your own

  • 1. paginadora  |  6 agosto, 2008 às 7:19 pm

    Olá Romério
    Tenho passado no seu blog sem comentar. Tomei conhecimento dele através de uma querida amiga comum: MEG
    Hoje resolvi cumprimentá-lo e dizer que o seu canto transpira poesia por todos os poros. E da boa.
    Gosto disso! Tudo de bom para você.
    Um abraço
    paginadora

    Responder
  • 2. Romério Rômulo  |  6 agosto, 2008 às 10:44 pm

    paginadora:
    creio que já nos encontramos no “recalcitrante”.obrigado pelo
    que você diz e apareça sempre.um abraço.
    romério

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

agosto 2008
S T Q Q S S D
« jul   set »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: