sabá

2 agosto, 2008 at 11:40 pm 4 comentários

a vida começa agora.
a cada sábado.

sexta levanto e durmo
quinta durmo e levanto
quarta levanto e durmo
terça resvalo encanto.

a vida começa agora
a vida começa lenta
a vida que me devora
é uma praga nojenta.

segunda levanto e durmo
domingo suspiro tanto.

a cada sábado começa. a vida.

(ao norte do meu hálito despido)

Anúncios

Entry filed under: Matéria Bruta.

fração canto

4 Comentários Add your own

  • 1. Diego  |  3 agosto, 2008 às 11:26 pm

    Romério
    Olá,
    Que poema interessante….
    Abcos
    Diego

    Resposta
  • 2. Romério Rômulo  |  4 agosto, 2008 às 12:27 am

    diego:
    obrigado.um grande abraço.
    romério

    Resposta
  • 3. meg  |  4 agosto, 2008 às 9:45 pm

    Romério,
    Este poema estava na calha para a minha página. Já era para entrar ante do que lá está.
    Diferente e divertido se não pensado e meditado.
    Um beiho
    meg

    Resposta
  • 4. romério rômulo  |  5 agosto, 2008 às 12:56 am

    meg:
    ainda é tempo.
    um beijo.
    romério

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

agosto 2008
S T Q Q S S D
« jul   set »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: