avô zico

12 julho, 2008 at 12:12 am 1 comentário

sou manso de brabezas. advindo.
conto o nascido na precisão do cerrado.
certo, dirás: falências. que não. vô zico
foi anunciado nos garimbos. removeu
caminhos de água. tentou se recompor
com diamantes. daqui não deu. risco
em cedro e pompéu. de seis fazendas
sobraram-lhe tesouros. de corpo interno.

Anúncios

Entry filed under: Tempo Quando.

onde a lua faz clarão escarpada

1 Comentário Add your own

  • 1. meg  |  12 julho, 2008 às 5:25 pm

    Romério,

    As memórias que um texto me traz!
    Parece-me que ouvi isto já, há muitos, muitos anos.
    Histórias de personagens como este avó!
    Em vez da água, era a pedra, eram as minas
    de volfrâmio, o mesmo destemor,desafio à miséria.
    E gostei da linguagem sertaneja!

    Um beijo
    meg

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

julho 2008
S T Q Q S S D
« jun   ago »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Top Posts

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: