scliar:

5 julho, 2008 at 12:05 am 2 comentários

te trago relatos. poucos, de saber.
mas há coisas incomodantes.
ora são bichos vagos no peito.
bichos de perfuração, por rumo de
onde, ora são censores de mão
única e múltipla.
pervagueio, censores obstinam
verdades. sem mais.
chego a ruminar, de dentes. dando
cansaço por idéia.
sobra-nos o mundo.

por abraço o

r.r.

Anúncios

Entry filed under: Tempo Quando.

mais quê? declaro:

2 Comentários Add your own

  • 1. meg  |  5 julho, 2008 às 9:14 pm

    Romério,

    Consciência que desperta
    e alerta,
    e avisa

    pervagueio, censores obstinam
    verdades. sem mais.

    e logo senão o mundo que nos resta!

    A tua Poesia não se dá, meu Poeta! É preciso arrancá-la bem fundo, não consigo mas tento e fico-me pelo meu tosco sentir.

    Beijo
    Meg

    Responder
  • 2. Romério Rômulo  |  5 julho, 2008 às 10:06 pm

    meg:
    não há sentir tosco.pra mim isto tem sentido.mas,na construção,
    não me preocupei em explicitá-lo.
    um beijo.
    romério

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

julho 2008
S T Q Q S S D
« jun   ago »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Top Posts

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: