Archive for 19 junho, 2008

(zé limeira incarnado)

zé limeira se apoitô
na cadera do inforcado
quem dá remédio é dotô
quem leva o tiro é o viado
limeira num caducô
eta trem bão de danado.
dona renata chegô.
limeira tá constipado
quem carrega uma fulô
num sabe de delegado
são francisco se abraçô
com um bicho brabo danado
quem acha que é cantadô
contra o limeira é coitado.

19 junho, 2008 at 8:14 am 5 comentários

(zé limeira)

zé limeira ao seu dispor
do tino, retino, tinta
meu olho caiu no amor
duma cabrocha sem pinta.

burro velho é picadero
da falsa ilusão da varge
quando avança, home soltero
enfrenta mestre bocage
o seu brilho verdadero
é pior que a pior laje
briga de sombra é cuero
bestera poca é bobage
ingrisia de barbero
é pra fazê malandrage
moleskin, caneta, isquero
me dispido nessa marge.

19 junho, 2008 at 12:09 am 2 comentários

a mão apurada de carlos scliar

Ferreira Gullar

Creio que foi Sartre quem disse que a morte completa a obra do artista, no sentido de que lhe põe o ponto final e com isso nos permite vê-la inteira: nada lhe será acrescentado e nada lhe falta, mesmo porque, se algo lhe falta essa falta é parte dela. Penso nisto, agora, no momento em que a notícia da morte de Carlos Scliar me leva a debruçar sobre o trabalho que ele realizou durante 60 anos de atividade artística. (mais…)

19 junho, 2008 at 12:01 am Deixe um comentário

impacado

zé limeira aferruô
um menestré de biriba
uma cobra impacô
bem pro lá da paraíba
dona meg se chegô
coloco tudo de riba.

19 junho, 2008 at 12:01 am 5 comentários


Feeds

junho 2008
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.