Archive for 16 junho, 2008

quero dizer que manuelzão foi boi – I

declaração de princípios (manuelzão)

1 – “as coisas boas sempre vêm na memória. mas a ruim tá encostada de lado”.

2 –“quando o jiló ficar doce
quando o açúcar amargar
quando deus deixar o mundo
eu deixo de te amar.”

3- “nunca vi encruzilhada pro inferno.”

4 – “tudo ele queria saber a finalidade.”

5 – “a sobra que sobrou.”

6 – “eu nunca achei nada pouco
ou muito que chegasse pra mim.”

7 – “ela tava mais no rumo
de entender o que eu queria.”

8 – “sangue cuaiou, acabou.”

9 – “uma santinha dessa posição.”

10 – “a brincadeira saiu e rendeu demais.”

11 – “o negócio é todo às avessa.”

12 – “servia para lascar um pau-de-lenha.”

13 – “teve vez da barriga não caber.”

14 – “só acredito no que vejo.”

15 – “medo? num sei o que é medo.”

16 – “cão chupando manga.”

17 – “promete esse mundo e a metade do outro.”

16 junho, 2008 at 12:10 am 6 comentários

reverso

o avesso é tão remédio como a noite
que busca luz num fundo de reveses.
outros seres, metástases do tempo
soluçam abrangentes, nossas vozes.

como se fossem anos, por mais luzes
que os avessos dos corpos se contorcem
rever o templo do homem, retaguarda
dos bichos que retorcem sua boca/

outro é viés de tudo, epicentro
do canto interno, pulso, um outro avesso
que retomado nos diz saber ser outro
se tanta luz lhe faz rever os dias.

16 junho, 2008 at 12:00 am 6 comentários


Feeds

junho 2008
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.