esplandecido

5 junho, 2008 at 6:00 am 3 comentários

1.
túrgida e ventada manhã,
toda ela acesa.
duro ranço da noite. em verdade
martelos são macios se levados
ao fogo da paixão e perquiridos.

2.
e produzir umas clarezas tais
que não se faça ambigüidade equivalente.
martelar o afoito do dia,
reduzir a quirera da noite no sopapo.
rasgar latejamento, sangue podre.

se sobra escuridão, que assim seja!

(destroncamentos)

Anúncios

Entry filed under: Matéria Bruta.

pontes, ouro preto misturinha

3 Comentários Add your own

  • 1. Mário Mendonça  |  5 junho, 2008 às 12:06 pm

    Caro Romério

    Parabéns pelo Blog, acabou de arrumar mais um fã.

    Abraços.

    Responder
  • 2. romerioromulo2  |  5 junho, 2008 às 3:58 pm

    mário:
    já somos companheiros no fênix e no nassif.temos mais este ponto.obrigado por suas palavras e conto com você.
    um grande abraço.
    romério

    Responder
  • 3. meg  |  5 junho, 2008 às 7:16 pm

    Romério

    Deslumbramento é meu dia, hoje.

    martelos são macios se levados
    ao fogo da paixão e perquiridos.

    E embalada pelas palavras, te deixo um abraço

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

junho 2008
S T Q Q S S D
    jul »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: