fundamento

3 junho, 2008 at 10:55 pm 4 comentários

um corpo pode ser muito tamanho
se lhe carregam um lastro tão maior
que o tempo. lhe devora as entranhas
o nu ressequido, extirpado, nuvem
de gafanhotos da noite.

tamanho corpo, nu, pode ser noite,
se a alma rasa sobrar só em calúnia,
se a boca nua se extirpar em pedra,
se o rasgo do ouvido for espaço.

(extirpar o cancro salgado do olho)

Anúncios

Entry filed under: Matéria Bruta.

Wilmar Silva entrevista RR

4 Comentários Add your own

  • 1. tânia diniz  |  8 junho, 2008 às 2:57 pm

    genial!
    adorei tudo.
    Bjocas, tânia

    Responder
  • 2. Romério Rômulo  |  8 junho, 2008 às 4:53 pm

    tânia:
    obrigado pela presença.espero as voltas.
    um beijo.
    romério

    Responder
  • 3. Diego Viana  |  9 junho, 2008 às 2:01 pm

    O bom dos blogs é que dá para ler os poemas um por um, até o final, como se fosse um livro! Obrigado por este momento de boa leitura e arte.

    Responder
  • 4. Romério Rômulo  |  9 junho, 2008 às 5:54 pm

    diego:obrigado pelo comentário e apareça sempre.o blog é atualizado diariamente.um grande abraço.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

junho 2008
S T Q Q S S D
    jul »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

RSS Fênix em Verso e Prosa

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

%d blogueiros gostam disto: